quarta-feira, 16 de setembro de 2020

NOTA DE FALECIMENTO

                                                                  

É COM PROFUNDO PESAR QUE O METRÓPOLE XADREZ CLUBE COMUNICA  O FALECIMENTO DE SEU ASSOCIOADO EMÉRITO E MESTRE INTERNACIONAL

FRANCISCO RICARDO TERRES TROIS.

ENXADRISTA VIGOROSO E CRIATIVO, DESDE LOGO DESPONTOU COMO UM DOS MELHORES NO XADREZ GAÚCHO. COLECIONANDO VITÓRIAS NO RIO GRANDE DO SUL E NO BRASIL ATINGIU A NORMA DE MESTRE INTERNACIONAL EM 5/10/78 NO 10º ZONAL SUL-AMERICANO, CONQUISTANDO ASSIM O MERECIDO TÍTULO, RECONHECIDO NO BRASIL E NO EXTERIOR.

JAMAIS SE APOSENTOU DO XADREZ, CONTINUANDO SEMPRE A IMPULSIONAR O ESPORTE EM TODAS AS OPORTUNIDADES, CONTRIBUINDO EM ESPECIAL COM O METRÓPOLE XADREZ CLUBE, PELO QUIE LHE FOI CONFERIDO O TÍTULO DE ASSOCIADO EMÉRITO.

NOS ÚLTIMOS ANOS PARTICIPOU DO 27º CAMPEONATO MUNDIAL DE XADREZ SÊNIOR 2017, EM ACQUI TERME, NA ITÁLIA; EM 2019 DO 50º ABIERTO DE MAR DEL PLATA E EM 2020 DO IV ABIERTO DE MONTEVIDEO-COPA MARCEL DUCHAMP.

UMA DAS FAÇÂNHAS PELA QUAL SERÁ SEMPRE LEMBRADO É A SIMULTÂNEA DE 15/5/1978 NO GIGANTINHO EM PORTO ALEGRE, QUANDO ATINGIU UM RECORDE NACIONAL AO ENFRENTAR 168 PARTICIPANTES COM UM APROVEITAMENTO 97,6%. 

ENQUANTO ESTEVE ENTRE NÓS, CATIVOU A TODOS COM SUA PERSONALIDADE MARCADA PELA TRANQUILIDADE, SIMPLICIDADE E SIMPATIA. 

À FAMILIA NOSSAS CONDOLÊNCIAS


FACEBOOK OFICIAL


 

domingo, 23 de agosto de 2020




TEMPO/OPORTUNIDADE

Não fomos surpreendidos pelo texto do João Luiz de Mello, médico pediatra  e escritor nas horas vagas. Participou da Oficina de Criação Literária, de Alcy Cheuiche. Tem seis contos publicados em Contos Contemporâneos 2019, editora AGE. Entretanto, a surpresa advêm
do enfoque: xadrez x tempo. Não é um texto clássico de perde ou ganha peças. Não
é um escrito óbvio de ganhar tempo com movimentos de peças, mas um conto que relaciona as memórias de jogador de xadrez. É um texto saboroso, fruto da vivência e de muita leitura, aproveite.

Nós, jogadores de xadrez, somos privilegiados.

Os que vivem dentro de um cartão ponto, encaram o tempo com a perspectiva do eterno recomeço. Amanhã, segunda-feira, após o feriado ou depois do Carnaval a vida recomeça. O envelhecimento, que imperceptível se transforma em marcas, esquecimentos inesperados e rugas consomem o tempo sem que percebam.

 É a pintura de Goya – Saturno (Chronos para os gregos) devorando um filho.

Têm tempo marcado. Sabem que seus minutos estão decididos no início do jogo. Partida também seria uma boa palavra em vez de jogo. Ao mover a primeira peça o tempo, marcado, decidido, pactuado, já estamos partindo. Saturno abre sua boca e começa o banquete.

Mexemos  uma peça e podemos “ ganhar” um tempo ou perdê-lo. Não temos  ilusão que ganhamos ali a partida. Foi só um tempo. O relógio hesita por segundos, mas não pára. A partida foi escolhida, e a chegada só pode ser abreviada. Derrubar antes o rei, xeque-mate, fim.

Desejamos ter tempo para ler aquele livro esquecido na prateleira, estudar a variante que o adversário vai usar no próximo torneio, assistir o vídeo sobre finais de torres, mas ao final descobrimos que caímos naquele buraco do depois. O  tic-tac que escutamos e da seta que caiu já eram esperados, mas fomos nós que mexemos as peças.

A vida é demasiado curta para o Xadrez – Lord Byron.


João Luiz de Mello

Médico Pediatra e Sócio do MXC

FACEBOOK OFICIAL



terça-feira, 24 de março de 2020



TEMPO-OPORTUNIDADE

TEXTO ELABORADO PELO PROFESSOR DE FILOSOFIA DA PUC-RS, E ASSOCIADO DO
MXC. EM TEMPOS DE RAPIDEZ, CORRERIA E QUE 24 HORAS JÁ NÃO SÃO SUFICIENTES
PARA AS MÚLTIPLAS TAREFAS/ATIVIDADES QUE DESENVOLVEMOS; O QUE FAZER QUANDO TEMOS TEMPO E LIBERDADE DE ESCOLHAS. SARDI APONTA UM DOS CAMINHOS, VOCÊ TÊM A LIBERDADE DE TRILHA-LHO OU ESCOLHER UM "MELHOR".
APROVEITE O TEXTO!


Eis que advém o tempo-oportunidade para uma mudança de percepção
Há circunstâncias em nossas vidas nas quais uma reflexão sincera e realista se torna imprescindível. E são geralmente aquelas em que a vida se põe diante do seu limite, e em que há a urgente necessidade de superação. Porém, refletir é uma ação interna, pessoal, intransferível. Só irá fazer sentido se for praticada livre, lucidamente. Sugere-se, portanto, que reflitamos sobre o sentido no qual a superação das crises passa invariavelmente também pela transformação de nossas percepções, de nossas disposições mentais. Dar um novo significado, então a percepção da situação que estamos mundialmente vivenciando, como uma oportunidade para realizarmos uma pausa para pensar, para nos curarmos, como um tempo destinado a um ‘retiro espiritual’ e ao crescimento moral e intelectual. E que assim possamos construir as condições para aprender a vivenciar criativamente o tempo. Meditar, ler, desenhar, pintar, escrever, esculpir, cozinhar, decorar, assistir filmes, séries e documentários que nos ajudem a crescer espiritualmente, dedicando atenção, carinho e cuidado em cada ação; dedicar o tempo a algum hobby ou brincadeira que confira prazer ao tempo vivido; aprender algo novo, praticando autodidatismo e partilhando a ajuda de outras pessoas: uma segunda ou terceira língua, história, astronomia, filosofia, mitologia, matemática, ecologia, ciências em geral, culturas diversas, o que puder lhe interessar ou despertar curiosidade, aprendendo também a ‘filtrar’ informações, percebendo que um aprendizado suscita caminhos para outros aprendizados, inesperados, surpreendentes, fazendo do aprender também um caminho de contemplação. Neste retiro espiritual, como um ato de retirar-se da sobrecarga cotidiana de preocupações e do tempo vivido sem sentidos maiores que a sobrevivência ou o consumo desenfreado, terás  tempo-oportunidade para exercitar o autoconhecimento, despertando novas potências, para que o ‘conhecer a si mesmo’ seja também um motivo para ‘reinventar e reconstruir a si mesmo’; tempo para aprendermos algo sutil e precioso sobre os relacionamentos humanos, pela renovação criativa dos laços que mantêm saudáveis as condições para a coexistência cotidiana com os nossos familiares e todos aqueles com quem convivemos em nossos lares; tempo para redescobrirmos o prazer de brincar, de reinventarmos prazeres, sentidos e motivações; oportunidade para exercitarmos a solidariedade, reconhecendo-nos como parte da humanidade, integrados na grande teia da Vida que milagrosamente habita e evolui neste planeta, a Terra, este ‘pálido ponto azul’, comparável a um milagroso ‘útero’ que navega em gigantesco, infindável universo; tempo para mudar a própria percepção do tempo, como ‘tempo de vida’, e não apenas ‘tempo de produção’, como ‘atenção ao presente’, e não apenas tempo de preocupações em que a Vida não se deixa sentir, para assim percebermos que o valor do tempo-de-vida é incomensurável por qualquer cifra monetária; oportunidade para exercitarmos a gratidão por existir e para assumirmos, assim, a profunda responsabilidade que deverá advir desta gratidão. Neste convite para que possamos exercitar uma mudança de percepção, eis que advém o tempo-oportunidade para que este ‘retiro espiritual’ seja também provocador de uma profunda reflexão sobre as condições que geraram esta situação: diante de uma crise ambiental sem precedentes, com suas múltiplas dimensões; diante da supressão social gradativa de valores e sentidos, e das patologias sociais associadas; diante da crescente supremacia do lucro e do mercado, em detrimento da vida; diante da histórica construção da idolatria do ego, da solidão do individualismo e de suas múltiplas repercussões psíquicas e sociais; diante da recente e crescente negação da ciência, da arte, da filosofia, do espírito crítico e do bom senso; diante da espiritualidade,  gradativamente suprimida em um mundo dominado pela máquina e fascinado unilateralmente pela tecnologia, e do consequente ocultamento do que nos torna efetivamente humanos; diante do esquecimento do Sentido maior de nossas existências e da Vida como um todo; diante da necessidade de substituir a liberdade e de praticarmos sentir-juntos o profundo valor de todos os seres vivos e da humanidade; diante da urgência de reconstruirmos o imaginário social do futuro, mantendo desde já as condições para que as próximas gerações que irão habitar este planeta o façam com dignidade; diante da urgência de relembrarmos como ‘faz bem’ desejar o bem, reaprendendo a amar com humilde coragem. E diante das múltiplas possibilidades que o espírito criativo da humanidade puder, em rede, gestar, eis aqui também um convite para refletirmos coletivamente sobre como esta ‘parada para pensar’ (em escala mundial) poderá nos ofertar algo positivo, apesar de tudo, apesar das vidas que infelizmente perderemos, renovando nossos votos de esperança. Com sabedoria, pratiquemos paciência, humildade, coragem, serenidade, esperança, fraternidade, persistência, caridade, compaixão. Eis que advém assim um desafio: transmutarmos a crise em uma oportunidade, uma pausa, um retiro para potencializarmos as condições para crescermos espiritualmente como humanidade, reintegrando-nos integralmente ao surpreendente mistério da teia da Vida.

segunda-feira, 16 de março de 2020


CANCELAMENTO DE EVENTOS



ENXADRISTA,

O METRÓPOLE XADREZ CLUBE, SEGUINDO RECOMENDAÇÃO
DA CBX, RESOLVEU CANCELAR AS TRÊS PRÓXIMAS COMPETIÇÕES
PROGRAMADAS PELO CLUBE.

1-TORNEIO DO MERCADO EM 28 DE MARÇO
2-BATALHA DE GUARARAPES EM 18 ABRIL
3-1ª ETAPA DA COPA ESCOLAR EM 25 ABRIL

INICIALMENTE SÃO ESSES OS CANCELAMENTOS, A SITUAÇÃO
NORMALIZANDO, RETOMAMOS AS COMPETIÇÕES EM MAIO.

AQUELES QUE SE INSCREVERAM E PAGARAM SUAS INSCRIÇÕES PARA
OS DOIS IRT!'s, MERCADO E BATALHA,  O CLUBE DEVOLVERÁ O VALOR RECEBIDO.
SOLICITAMOS QUE OS JOGADORES QUE TÊM CÓDIGO PARA DEPÓSITO,
NÃO FAÇAM O PAGAMENTO.

O CLUBE CONTA COM A COMPREENSÃO DE TODOS OS ENVOLVIDOS.

DIRETORIA DO MXC